Argentina: os ares únicos e a cultura portenha de Buenos Aires

07.08.2017

Pedra. É perturbador como um corpo enrijece quando perde a vida. Lá estava o pai, duro, recém morto nos seus braços, em uma cama de hospital. O mesmo hospital onde havia salvado tantas vidas. Meu pai foi daqueles guerreiros que batalhara até o último minuto, e um pouco antes desse me acordou para se despedir. Curioso como praticamente havia escolhido morrer abraçado comigo, ele que foi o primeiro a me abraçar em minha vida. Um mês depois de perder meu melhor amigo eu estava em busca de novos ares na cidade que trazia no nome tal promessa: Buenos Aires.

 

Flores nas janelas. Tango pelas ruas. Tanta vida nas sacadas. A beleza de Buenos Aires morava também em seus moradores, que levavam consigo o charme latino de uma cidade que sabe o poder que tem. Algo de sereno e sábio que acompanha aqueles que caminham com sapatos mas reconhecem o prazer de andar descalços. De fora, calcanhar de fora. Um café, um alfajor, um bourbon. O único modo de cicatrizar é confiar - lema que repetira a si mesmo sempre a partir de então.

 

Viver ultrapassa qualquer entendimento. Mesmo não entendendo certos caminhos, mesmo se perdendo em algumas trilhas e cidades, estava lá, paciente, confiante, intuitivo. E como sabia da força da solidão às vezes sentava em um banco de alguma praça centenária, só pra sentir o vento passar. Aquele mesmo vento que cortava as bromélias no litoral sul, que guiava os desbravadores em novos mares, que inflamava o fogo no incêndio. Viver não dói. 

 

"Só vos invejarão os que também procuram ser felizes; minha longa tarefa é outra, é não ser infeliz e me proteger e guardar, ser forte dentro de mim, forte, quieto, sereno".

Rubem Braga

 

SABIA QUE? Buenos Aires é a capital e maior cidade da Argentina. Curiosamente, não faz parte da província de Buenos Aires nem é sua capital, pois é um distrito autônomo. Está entre as 20 maiores cidades do mundo, sendo um dos principais destinos turísticos da América Latina. A cidade, fundada em 1536, porém desenvolvida somente a partir da segunda metade do século de 16, é inclusive responsável por quase metade do PIB (Produto Interno Bruto) da Argentina. A língua nacional é o espanhol latino, que teve origem no espanhol castelhano. Quanto ao clima de BA, é bem acentuado, faz bastante frio e chove no inverno e é calor no verão.

 

VOCÊ PRECISA CONHECER: 

 

Recoleta - bairro mais elegante da cidade, com bares, restaurantes e galerias de arte.   Iniciou em 1870 e conta com diversos atrativos como a arquitetura europeia, o Museu Nacional de Belas Artes e a Igreja Nossa Senhora de Pilar.

 

Floralis Generica - uma escultura metálica gigante em formato de flor que abre durante o dia e tem iluminação especial durante a noite. Projetada pelo arquiteto Eduardo Catalano, está sobre um espelho de água em uma praça cercada por trilhas.

 

Feira de San Telmo - é a feira mais conhecida da cidade, vende desde antiguidades à artes e artesanato. São centenas de barracas. Acontece desde 1970, ocorrendo sempre aos domingos.

 

Livraria Ateneo - é uma das maiores e mais belas livrarias do mundo, e conta com mais de 120 mil livros em suas prateleiras. Já abrigou um teatro de ópera e um cinema. Também tem um espaço para exposições artísticas.

 

Casa Rosada - é a sede da presidência da república argentina, assim chamada pela cor aproximadamente rosa. Abriga também o Museu da Casa do Governo, com material relacionado aos presidentes do país. 

 

Puerto Madero - é um bairro nobre da cidade reconhecido por sua gastronomia, com excelentes restaurantes. A Ponte das Mulheres, ou Puente de la Mujer, localizada no bairro, também é um atrativo à parte.

 

Show de Tango - vale a pena investir para assistir a um, já que BA é internacionalmente reconhecida pelo tango. Os shows acontecem em diversas casas e os ingressos apresentam valores variados.

 

À convite a amiga jornalista Juliete Lunkes, catarinense radicada em Buenos Aires que mantém um blog sobre suas desventuras na cidade, elencou algumas dicas para os brasileiros que tem interesse em se mudar para viver na capital dos hermanos. Confira o depoimento e as dicas:

 

"Há quase dois anos, quando decidi deixar para trás o pouco que tinha e partir para uma aventura diferente de tudo o que eu tinha feito até então, eu não imaginava que a coisa ia ficar tão séria. Com mais ou menos um ano de planejamento, dinheiro guardado e uma vontade gigante de ir rumo ao desconhecido, pedi demissão, iniciei os trâmites de imigração, fiz a malas e parti para Buenos Aires. A ideia era ficar uns seis meses, trabalhar com algo que não tivesse nada a ver com jornalismo, que já tinha enchido meu saco, e ver no que ia dar. Acontece que as coisas não saíram exatamente como planejei. E com isso não me refiro aos perrengues que quase todo “expat” passa no começo de sua jornada, tipo hostel sujo, roomate irritante, dificuldade de adaptação e de conseguir trabalho. Na verdade não saiu como planejado porque eu me senti tão em casa aqui que de repente não fazia mais sentido voltar pro Brasil. Resultado: tenho emprego fixo e registrado, aluguel em meu nome, contas para pagar, consultas médicas periódicas, supermercado toda quinta e um amor que fala “te quiero”. Nesse período acumulei certa experiência em como se manejar em terras portenhas e comparto cinco informações que todo viajante (ou imigrante!) deveria ter em conta ao cruzar a fronteira:

 

1 - A menos que seu budget seja gordo e já tenha uma boa parte destinada ao seu transporte, a primeira coisa que você precisa fazer ao chegar a Buenos Aires, seja para passar uns dias ou parar morar, é comprar o cartão SUBE. Você não entra em nenhum ônibus e muito menos no metrô (Subte) sem esse maldito plástico azul.

 

2 - E falando em plástico, a situação se inverte quando o assunto é cartão de crédito ou débito. Enquanto hoje no brasil você compra até milho cozido na praia com ele, aqui muitos bares e restaurantes só aceitam dinheiro vivo. O bom é que dá pra sacar em qualquer (qualquer!) caixa eletrônico, e todos funcionam 24 horas por dia.

 

3 - Se você adora comer e não costuma contar calorias (e se não é celíaco), Buenos Aires pode ser seu lugar. Aqui a comida em geral é pesada, com muita farinha, e também abundante. Eles não vivem sem pão, não vivem sem doces, tem uma pizzaria em cada esquina e tudo fica aberto até bem tarde (ou não fecha nunca).

 

4 - Os porteños são muito boêmios, adoram sair, seja para comer a “merienda” em um dos tantos cafés espalhados pela cidade, um after office em algum barzinho cool, ou aquela baladinha de sexta. E falando em balada, nem pense em aparecer em uma antes das 2h da madrugada: só vai estar você e o barman.


5 - Buenos Aires pode não ser a cidade mais segura do planeta, mas tampouco se compara às capitais brasileiras. É muito comum ver gente caminhando de madrugada, indo ou voltando da balada, levando o cachorro para passear ou comprando cigarro e chocolates em algum kiosco. Como todas as linhas de ônibus circulam 24 horas, o transporte é muito usado na noite".

 

TEM ALGUMA DÚVIDA OU PROCURA ALGUMA DICA ESPECÍFICA? ENVIA UMA MENSAGEM ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS:

© 2023 por NÔMADE NA ESTRADA. Orgulhosamente criado com Wix.com