Holanda: porque Amsterdã mudou o mundo e a minha cabeça

"O mundo está cheio de garotos, seja homem". Lembrava da frase que a mãe repetia quase sempre quando ele levava um tombo. Às vezes ainda sentia o cimento rasgando a palma da sua mão direita. E como quem bate esquece, mas quem apanha não, cada soco que levou anotou em sua caderneta mental para preparar sua vingança pessoal: seria mais autêntico e feliz, ganharia por dar mais risadas. Não precisava mostrar ou falar para os outros, por que realmente acreditava que se falar é prata e calar é ouro, sorrir é pedra preciosa. Tinha um sorriso bonito, daqueles que faz muita gente sorrir também.

Ganhava a vida entretendo os outros. Um trabalho que beirava à desonestidade, a estética do futuro. Descobriu que muita gente se entretém com muita coisa bizarra. Cataclismo social, perdição sem futuro, salvação, solução porvindouro, fortuna, fado e sina do destino.

E quando estava bem longe de casa, do outro lado do mundo, foi sentindo que o encanto foi ficando mais forte com o passar dos dias. Era a segunda vez que visitava Amsterdã e projetava que ao menos houvesse uma terceira, quarta e quinta. A cidade holandesa exemplo exímio do liberalismo despertava a mesma sensação de permissividade anarquista dos sentimentos, de transmutaçāo da verdade. Nela ele não pedia permissão para sonhar, perdido e leve por suas ruas e canais, seguro em si.

Inclusive o sistema não linear de seus canais incentivava tal sensação. E como uma mentira sempre diz uma verdade, entendeu que Amsterdã é a cidade mais sincera e honesta que conheceria até então. Com suas centenas de coffee shops que oferecem drogas para os que procuram refrescar a mente e com seu distrito da luz vermelha que proporciona prostituição para aqueles que querem refrescar o corpo. Um sistema de entretenimento que relembra constantemente aos seus moradores e visitantes que o que é liberdade para uns também é prisão para outros.

Bicicletas nas ruas, barcos-casas nos canais. A capital holandesa provoca essa sensação de embaralhamento de referências. Por mais europeia que se assuma através de sua arquitetura e estilo de vida, tem um caráter autêntico despojado e contraditoriamente elegante e arrogante, que faz com quem a conheça acredite que será feliz somente depois de ter tal experiência.

Mesmo assim, orava para que continuasse de tal forma, com a certeza de que crer na liberdade o tornava ainda mais forte.

Se a liberdade significa realmente alguma coisa, significa o direito de dizer às pessoas o que elas não querem ouvir”.

George Orwell

SABIA QUE? Com cerca de 2,5 milhões de habitantes, Amsterdã fica localizada ao Oeste da Holanda e tornou-se internacionalmente conhecida por ser uma cidade à frente de seu tempo. A mobilidade urbana da capital holandesa se dá muito pelo uso de bicicletas, monotrilhos e barcos que percorrem os canais que cortam a cidade, que são considerados patrimônios mundiais pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). No século 17, Amsterdã tornou-se um dos portos mais importantes do mundo. Também considerada a capital cultural da Holanda, além de comercial, por sediar mais de 500 empresas internacionais, é um destino turístico mundial reconhecido e recebe mais de 10 milhões de visitantes estrangeiros anualmente. Talvez uma das razões por ter se tornado um atrativo internacional, é por que a capital foi uma das primeiras do mundo a tolerar o uso de maconha, que é comercializada e utilizada abertamente em diversos coffee shops. A língua nacional é o holandês, mas o inglês também é bem falado, e a moeda é o euro.

VOCÊ PRECISA CONHECER:

Coffeeshops - com mais de 150 espalhados pela cidade, os coffee shops comercializam diferentes tipos de maconha e haxixe, sendo que alguns deles também vendem cogumelos lisérgicos e outras drogas leves, além de comidas aditivadas com cannabis, como brownies e cookies. Alguns deles vale a pena serem conhecidos, como o The Bulldog, o Baba, o Amnesia, o Barney's, o Mellow Yellow e o Papeneiland.

Rijksmuseum - o museu nacional dos Países Baixos, dedicado à história europeia, fundado em 1800. Com uma arquitetura bem peculiar que mistura o gótico com a renascentista, o equipamento cultural tem centenas de obras, incluindo as de Rembrandt, Goya e Vermeer.

Museu Van Gogh - museu com obras do Vicent Van Gogh e seus contemporâneos. Tem mais de 100 obras do pintor holandês que perpassa diferentes fases do artista expressionista que viveu durante o século 19.

Casa da Anne Frank - local com energia bem contundente, onde a menina Anne Frank tornou-se escritora e cresceu escondida durante a Segunda Guerra Mundial. Fundado em 1960, hoje o prédio é um museu que perpassa o período histórico e experiências da jovem.

Heineken Experience - um museu dedicado à cervejaria Heineken, onde funcionou a primeira fábrica da empresa que foi fundada em 1863. O museu oferece tour com exposições interativas e audiovisuais, sala incrível com telões gigantes, além de dois bares.

Red Light District - o distrito da Luz Vermelha, também chamado de De Wallen, é dedicado quase exclusivamente à prostituição, com mulheres seminuas que ficam expostas com roupas sensuais em vitrines e janelas. No bairro ainda há casas de shows de sexo e coffee shops. A localidade tem esse nome por que as prostitutas usam luzes vermelhas junto às janelas e vitrines.

Palácio Real de Amsterdã - localizado na praça Dam, é o palácio dos Países Baixos, construído em 1665. O edifício histórico tem arquitetura no estilo clássico holandês e conta com diversas esculturas.

Bairro Joordan - bairro calmo e descolado, localizado ao Oeste da cidade, é ocupado por artistas e tem vários cafés e restaurantes.

9 Straatjes - são nove ruas próximas a região central da cidade que reúnem diversas galerias de arte, lojas e restaurantes.

Feiras próximas a igreja Noorderkerk - são várias delas que vendem uma variedade de produtos artesanais.

Café Winkel 43 - cafeteria incrível com vários pratos holandeses típicos bem saborosos.

Museu Stedejlijk - é o museu de arte contemporânea da cidade, vale a pena conhecer se você é um entusiasta da área.

Café tSmalle - é uma cafeteria mais para beber, com diferentes tipos de drinques e cafés deliciosos.

Brechó Pop Boy - brechó de moda descolado, com grande variedade de sapatos.

Torre Westerkerk - torre com arquitetura holandesa que também é um dos pontos turísticos da cidade.

Restaurante Singelgtacht - restaurante delicioso com um clima de jardim de inverno.

Bar Arendsnest - bar descolado com uma variada carta de drinques.

Eye Film - instituto com museu, galeria de arte e espaço direcionado ao audiovisual.

TEM ALGUMA DÚVIDA OU PROCURA ALGUMA DICA ESPECÍFICA? ENVIA UMA MENSAGEM ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS:

@2020 - MARCIANO 12024 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS