Cuba: o comunismo e o capitalismo em Havana, a capital da resistência

"Ser erudito é uma maneira de ser livre", afirmou o recepcionista cubano do hotel em Havana, militar aposentado formado em Direito e Filosofia.

Vivenciar Cuba mudou para sempre seu sentido de sobrevivência. Durante o dia a capital do país pulsava num intenso movimento de circulação e à noite suas ruas adotavam um silêncio natural frágil um tanto encantador e inexplicável, como uma bolha de sabão. Eram casais enamorados no muro que contorna a orla do mar, mulheres faceiras transitando pelas avenidas e ruelas, casas de jazz e salsa que brilham no amarelo da escuridão, e um sentimento de felicidade promulgada que parece esconder certa tristeza.

Semelhante a ele, a ilha é pura contradição: o futuro havia chego mas o passado ainda não tinha ido embora, o caos estava disfarçado de tranquilidade, a revolução confundia-se com a liberdade, e a simplicidade misturava-se com o retrocesso. Aquela ilha tinha tanto a compartilhar com o mundo e ainda assim estava escondida graças ao embargo econômico que se estendeu por mais de meio século. Apesar de destacar-se na saúde, educação e segurança, o país não lhe parecia justo - qualquer lugar onde a alimentação é escassa e controlada pelo governo através de uma caderneta não poderia ser exemplo para outros países. Mas talvez se sentisse desse jeito porque até então era um filho do capitalismo. Mesmo assim, ele nunca se sentiu tão sereno como se sentira em Cuba, por mais intensa que fosse a escuridão dominante durante as noites.

Mas ser pragmático era mais prático. Entre alusões e impressões, a discrepância torna-se discernimento. Em Havana o calor humano podia parecer oportunismo, o otimismo poderia acobertar a infelicidade, e a simplicidade trazia um sentimento de orgulho que aparentaria ser arrogância para muitos.

Os cubanos vivem com um orgulho sustentado por uma segurança que reconhece seu poder social. Com sorriso no rosto e algumas curvas do corpo a mostra, parecem fazer provocações sexuais educadas uns aos outros - ao menos era essa a impressão, com aquele maldito calor delicioso que sempre provoca a sensualidade exarcebada seja onde for.

Também são vaidosos. Afinal, é vaidade esperar reconhecimento pelos sacrifícios. E mesmo que sofressem não se abririam quanto a tal sentimento, estão por cima. Porém nem tudo é uma questão de escolha. De que adianta o sofrimento silencioso? Menos tristeza e mais alívio, era dessa maneira.

Quase chegou à conclusão de que a tristeza gera mais sabedoria que a felicidade, que esta pode parecer ignorância. Mas entendeu que era exatamente o oposto, que de fato não é somente melhor ser alegre que ser triste, mas é mais inteligente. E ainda que nenhum homem seja uma ilha, foi naquela ilha que ele sentiu voltar ao começo, que sentiu-se forte como no início. Status quo alla bellum: tudo está como antes.

"A verdadeira revolução é não mentir jamais".

Fidel Castro

SABIA QUE? Maior país da região do Caribe e reconhecida mundialmente por seu estilo de vida e sistema econômico, Cuba viveu desde 1959 no comunismo, que provocou o embargo econômico dos EUA e de outros países capitalistas. A ilha vive até hoje sob comando dos irmãos Castro, agora Raul e antes Fidel, que junto com o médico e guerrilheiro Che Guevara liderou a revolução que implantou sua então economia. Havana é a capital e maior cidade do país, com cerca de 2,4 milhões de habitantes. A cidade possui uma rica tradição histórica e cultural, e caracteriza-se por ser eclética e monumental ao mesmo tempo. Destaca-se também pela arquitetura, que mistura diferentes estilos que perpassam o barroco e neoclássico, com casas coloridas bem particulares que possuem arcadas, varandas, portões, pátios e pilares. A capital passa por uma fase de intensa mudança graças ao desembargo econômico que aconteceu há alguns anos, exemplo que sintetiza-se, por exemplo, nos automóveis - é possível ver carros antigos clássicos e outros modernos transitando na cidade. Os cubanos ganham um salário muito baixo, o que os faz procurar alternativas para ganhar a vida como ter mais de um emprego. Inspiradora em diversos sentidos, Havana tem uma área metropolitana de mais de 750 km² e espalha-se em diferentes bairros entre os quais se destacam Habana Vieja, El Vedado, Nuevo Vedado, El Cerro, Miramar, Marianao, Playa, La Lisa, La Víbora e Santos Suárez. A língua é o espanhol castelhano, carregado de um sotaque bem particular, e a moeda nacional é o peso cubano, que se divide entre o CUC (moeda para os turistas) e o CUP (moeda para os locais). Diferente de outros países, o dólar americano é um tanto desvalorizado, por isso vale a pena levar euro ou dólar canadense caso vá visitar a república e fazer câmbio no local. Quanto à internet, ainda é escassa em Cuba, é paga e está disponível somente em lugares públicos como algumas praças e lobbies de alguns hotéis, o sinal é ruim e para utilizar é necessário comprar uma tarjeta que traz um login e senha e tem o valor de cerca de 5 CUCs, funcionando durando cerca de uma hora - por isso é indicado baixar algum aplicativo com GPS e mapa de Cuba que funciona offline para transitar com mais independência pela capital.

VOCÊ PRECISA CONHECER:

Habana Vieja - é o centro histórico de Havana, a Havana Velha, é onde é possível encontrar os bares, restaurantes, ruas e praças mais reconhecidos. Não deixe de percorrer a área a pé, vale a pena ficar hospedado nesse bairro ou em algum bairro próximo, já que o principal da capital acontece por aqui. É também considerada patrimônio mundial da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) graças à sua história e arquitetura.

Paseo Del Prado - uma avenida centralizada em uma passagem de pedestres bem arborizada que divide Havana Velha de outros bairros. Aos sábados e domingos é possível apreciar o melhor da verdadeira arte cubana, pois diversos artistas visuais comercializam seus trabalhos na área de passeio.

El Capitolio - o edifício foi a sede do governo de Cuba após a Revolução Cubana em 1959 e atualmente é a sede da Academia Cubana de Ciências. A arquitetura foi inspirada no Capitólio dos EUA e o prédio foi concluído em 1929, porém segue em uma reforma que se extende durante anos os últimos anos. Também já foi o edifício mais alto de Havana e uma das maiores casas parlamentares do mundo.

El Malécon - construído no século 20, o muro que percorre a avenida que se extende por mais de dez quilômetros fica na orla que contorna o mar em Havana e é um famoso ponto de encontro na cidade. É onde alguns cubanos ficam para conversar, namorar e até pescar.

Castillo Del Morro - é uma fortaleza colonial construída em 1589 pelo Império Espanhol para proteger a região de Havana. Projetado pelo engenheiro italiano Jean Bautista Antonelli, em 1762 o forte passou para o controle dos ingleses, o que levou os espanhóis a erguerem outra fortaleza em La Cabaña.

Grande Teatro de Havana - teatro nacional localizado em esquina do Paseo Del Prado, próximo ao Capitólio, se destaca pelo projeto arquitetônico e por sua vasta estrutura.

Praça da Catedral - também chamada de Praça Velha, é onde fica a principal catedral de Havana, tem casarões com diferentes estilos arquitetônicos, a maioria construído no século 18. Imperdível.

Praça de Armas - construída no século 17, é uma praça com atmosfera colonial bem movimentada e bonita de Havana, também ponto de encontro dos cubanos. Aos fins de semana recebe algumas tendas que vendem livros e antiguidades. Localizada na região central na capital, é um dos locais cultuados pelo regime cubano, onde parte de sua história foi registrada. Bem conservada, é um bom local para fotos, bem ampla e bem segura para se caminhar, assim como é todo o centro de Cuba. É aqui que fica o Castelo da Força Real e também o Museu dos Capitães Generais, que conta a história do país.

Praça da Revolução - um dos pontos mais turísticos de Havana, é uma praça com um pátio enorme que tem os famosos bustos do Che Guevara. Traz esse nome por que é onde aconteciam os principais comícios políticos da Revolução Cubana.

Museu da Revolução - museu com coleção interessante de imagens, artefatos, armas e até aviões e tanques de guerra sobre a história do país e a Revolução Cubana.

Museu Finca La Vigia de Havana - museu do Hemingway, escritor reconhecido mundialmente. Fica localizado na antiga casa de Ernest, no bairro San Francisco de Paula.

Museu Nacional de Belas Artes - é o museu dedicado à arte cubana e universal, que conserva o principal patrimônio e acervo artístico do país.

Castelo da Força Real - é a fortaleza mais antiga de Cuba, também declarado patrimônio da Unesco, foi construída no século 16 e tem estilo renascentista, com uma simetria perfeita, e chegou a servir de modelo para outras fortalezas americanas. Atualmente alberga o Museu da Navegação.

Fábrica de Arte Cubano - espaço hype e descolado dedicado a arte contemporânea de Cuba, é um museu que reúne artes visuais, projeções cinematográficas e shows musicais. Abre somente às sextas-feiras e sábados durante as noites.

Galeria Figueroa - galeria de arte com fotografias históricas de Cuba.

Rua Obispo - é uma das principais ruas do centro histórico de Havana, com dezenas de lojas que comercializam souvenirs, algumas livrarias e vários restaurantes.

El Floridita - bar e restaurante onde nasceu o drinque Daquiri, foi fundado em 1817 e era frequentado por Hemingway. É um ponto turístico reconhecido e tem shows de salsa que acontecem durante quase todo o tempo de funcionamento do estabelecimento.

Bodeguita Del Medio - outro bar e restaurante reconhecido como ponto turístico, existe desde 1950 e traz no cardápio a típica comida cubana, também chamada por alguns de comida crioula. Algumas de suas paredes trazem assinaturas e escritos de seus visitantes, alguns notórios como Pablo Neruda, Hemingway e Errol Flynn.

Sloppy Joe's - bar tradicional de Cuba que foi reaberto recentemente após ficar mais de 40 anos fechado. O atendimento não é lá essas coisas, mas os drinques ainda são bons.

Café Taberna - um café e restaurante que traz um ambiente bem agradável e é um reduto de boa música cubana.

El Vedado - é um dos bairros mais modernos e "burgueses" de Cuba, bem arborizado e com casas bacanas, é indicado ficar hospedado em alguma casa por aqui caso procure estar ainda na região central porém não no agitado Centro histórico.

Marianao - bairro simples no subúrbio de Havana, onde é possível observar bem a realidade da cidade.

Rum, café e charuto - são alguns dos melhores produtos de Cuba, graças às condições climáticas e da terra. Os drinques com o run Havana como Daiquiri, Mojito e Cuba Libre são bem saborosos, os charutos artesanais ou de marca como a Cohiba e a Monte Cristo são considerados os melhores do mundo e os cafés de diferentes tipos são deliciosos.

TEM ALGUMA DÚVIDA OU PROCURA ALGUMA DICA ESPECÍFICA? ENVIA UMA MENSAGEM ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS: