Colômbia: simbologia e serendipidade em Cartagena das Índias

Ouro, mar e sangue. A combinação nada sútil pertinente na construção de grandes impérios dava as cores à bandeira da Colômbia, destino onde ele iniciava seu novo ciclo.

A taça de vinho quase cheia havia sido sua companhia frequente nos últimos meses e servia para disfarçar o gosto de insatisfação que sentia de vez em quando entre os dentes. Como de costume, para evitar as ressacas que perturbavam seu corpo já não tão mais jovem, intercalava a bebida com copos d’água. Corria mais de 40 quilômetros por semana, nenhum documentário ou seriado prendia sua atenção, os encontros esporádicos com amigos tornaram-se previsíveis, e já era o terceiro livro que havia desistido de ler. Ocupava a cabeça com o trabalho de corrigir textos daqueles que corrigiam textos, o que lhe trazia o dobro de responsabilidade e o inevitável cansaço intelectual. Assim como nas travessias anteriores, trabalhava para poder viajar, e poucos eram os semelhantes que compreendiam tal movimento. O som de King e Davis embalava suas noites. Estava cansado: o caos político do seu país, os relacionamentos afetivos conturbados e a publicação do primeiro romance pareciam ter exaurido suas energias.

Talvez o ímpeto pelo novo tinha origem naquela inquietude disfarçada do tédio geracional que acalentava seus dias desde jovem. O sentimento servia para ele como um arauto pessoal. Como um clichê cacofônico determinista de espírito livre que permanecia viajando não para se encontrar, mas para relembrar a si mesmo quem realmente é.

Decidiu permanecer expandindo os horizontes e quebrou a rotina ao partir novamente para conhecer mais um pedaço do mundo: Cartagena das Índias. Era sua terceira vez no Caribe e aquela rota lembrava à ele do sangue latino quase clandestino que corria em suas veias, típica miscigenação que o envaidecia. As cicatrizes do seu corpo já não o incomodavam mais e seu sorriso sincero havia retornado. Não haveriam mais 100 anos de solidão e os amores em tempos de cólera não retornariam.

Escolhia manter nós atados apenas com os bons que cruzavam seu caminho. Aprendeu a acreditar na teoria da linha vermelha, que afirma que estão todos conectados por um fio invisível o qual não se pode impor caprichos, uma linha vermelha indestrutível que impõe às casualidades e os encontros positivos que acontecem na vida. Ou seja, se as pessoas estão destinadas a se encontrar, independente do tempo, do lugar ou da circunstância, irão se encontrar.

Poderia ser a primeira paixão do colegial que o marcou de uma forma inexplicável, a melhor amiga da faculdade com quem tem um vínculo quase hermético, ou até mesmo outro viajante que conheceu em algum canto do planeta. O fato é que a viagem à Colômbia havia fortificado sua crença na serendipidade, naquela situação que acontece ou é descoberta pelo acaso, na casualidade bem afortunada, nas boas experiências consequentes da coincidência.

As cores, os ritmos, os sabores e o clima de Cartagena relembravam a ele constantemente que tudo tem o seu equilíbrio, e que o equilíbrio é um dos segredos para a felicidade. O segredo era saber se perder com mais critério, ou procurar errar de maneira mais correta. E ele não sabia quais erros e acertos o esperavam nas próximas páginas, apenas tinha a certeza de que transformaria seus traços em tatuagens intravenosas, como aprendeu com os grandes mestres. Forte como uma muralha construída com corais, leve como um albatroz que migra para encontrar a paz. O melhor lugar do mundo nunca foi um lugar.

Todo mundo quer viver em cima da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpada”.

Gabriel García Márquez

SABIA QUE? Fundada em 1 de junho de 1533, Cartagena das Índias foi batizada em homenagem a Cartagena, na Espanha. Entretanto, vestígios comprovam a existência de vários povos indígenas no local datado em 4.000 a.C. Durante o período colonial, por ser rota de extração e exportação de ouro e pedras preciosas, a cidade foi alvo de invasões dos impérios britânicos e franceses, além dos piratas. Daí a necessidade de construir uma muralha que envolve até hoje o Centro do município, para protegê-lo. Atualmente o centro histórico de Cartagena, conhecido como cidade fortificada, cidade amuralhada ou cidade murada, reúne a alma da cidade, e foi declarado Patrimônio Nacional da Colômbia em 1959, e posteriormente em 1984 declarado Patrimônio Mundial pela Unesco (Organização para a Educação, a Ciência e a Cultura das Nações Unidas). Com cerca de 1 milhão de habitantes, Cartagena das Índias é considerada a cidade mais turística do país, por razões históricas e geográficas, pois se encontra localizada na costa da região do Caribe, onde há belas praias. Diferente da capital colombiana, Bogotá, que tem 8 milhões de residentes e um clima frio e chuvoso na maioria do ano, Cartagena traz o clima caloroso e colorido da Colômbia. A população é resultado de uma mistura de três etnias: a europeia pela colonização, a negra devido a escravidão e a latina pré-colombiana local. Outra curiosidade é que o reconhecido jornalista e escritor colombiano Gabriel García Márquez (1927-2014), prêmio Nobel da Literatura em 1982, viveu muitos anos em Cartagena, sendo que a cidade serviu de cenário para alguns de seus romances. A Colômbia tem cerca de 49 milhões de habitantes, a moeda local é o peso colombiano e a língua nativa é o espanhol.

VOCÊ PRECISA CONHECER:

Castelo San Felipe de Barajas -

o principal forte de Cartagena começou a ser construído no século 16 e demorou 133 anos para ser finalizado. O castelo foi construído pelos espanhóis para defender a cidade colombiana das invasões dos britânicos e franceses, que almejavam tornar a cidade uma colônia. Dentro do castelo tem o museu da esmeralda, pedra símbolo do amor e fidelidade – a Colômbia é inclusive um dos maiores produtores mundiais de esmeralda. Além de proporcionar uma boa visão da cidade, outra curiosidade é que o castelo tem extensos túneis subterrâneos que ficam até 250 metros abaixo da terra. A entrada para o castelo custa em média R$ 25 e o passeio é bem bonito.

La Popa monastério - o prédio católico histórico e se destaca graças a sua localidade, pois fica em cima do cume da cidade, proporcionando uma visão panorâmica de Cartagena. A arquitetura é espanhola com influência árabe, o que torna o local ainda mais interessante.

Cidade Amuralhada - é o coração de Cartagena das Índias e o principal ponto turístico da cidade. Fica localizada no centro histórico. Em seu entorno, ficam as muralhas, construídas para defender a cidade de invasões de piratas e outras países que tentaram colonizar a Colômbia. Uma curiosidade é que as muralhas foram construídas com os corais extraídos da baía e costa de Cartagena, e é possível vê-los em diferentes pontos do monumento. É imprescindível conhecer a Cidade Amuralhada, que guarda muitos pontos turísticos. Por lá você poderá visitar a Torre do Relógio - antigo portal da cidade -, o Palácio da Inquisição e seu museu, o Museu do Ouro, a Igreja de San Pedro Claver, a Catedral de Cartagena e a Igreja de Santo Domingo (onde há uma curiosa lápide de um pirata que comprou sua redenção com diamantes), além de várias praças que vivem cheias de gente. Outra experiência única é fazer um passeio sobre as muralhas. O centro histórico preserva ruelas charmosas, igrejas, praças, restaurantes, museus, bares e edifícios de arquitetura colonial com balcões floridos.

Bairro Boca Grande - é um dos principais bairros da cidade, com praias mais cheias e estreitas e modernos edifícios. É sempre bem movimentado com boas opções de restaurantes e alguns bares. Além da cidade amuralhada, aposte aqui se você procura interação com estrangeiros e gente bonita e descolada.

Bairro Boquilla - fica localizado na região Norte e é um bairro mais tranquilo, com resorts que tem acessos diretos às praias, que são menos frequentadas. Nesta região também há bastante contraste social, é impossível não constatar a pobreza de parte dos moradores.

Praça de Santo Domingo - é uma das praças mais animadas de Cartagena, fica no centro dentro do centro fortificado, e também é bem movimentada durante a noite, quando ganha uma iluminação charmosa e os restaurantes ocupam as ruas com mesas e cadeiras. Nessa praça também está Gertrudes, escultura doada pelo artista colombiano Fernando Botero.

Torre do Relógio - talvez o maior ponto de referência e um um dos maiores símbolos de Cartagena, a torre tem uma arquitetura imponente e fica na entrada da cidade amuralhada e em seu entorno é sempre bem movimentado, inclusive as noites, quando ganha uma iluminação bem bacana. Das três portas que ficam embaixo da torre na entrada da cidade, somente a central existia originalmente enquanto que os outros dois espaços permaneciam ocupados por uma sala de armas e uma capela. O relógio foi instalado no local em 1874 trazido dos Estados Unidos e após 63 anos foi substituído pelo atual, importado da Suíça.

Portal de los Dulces - esse corredor fica próximo à Torre do Relógio e tem diversas opções de doces locais. As doceiras tradicionais são chamadas de pallenqueiras.

Bairro Getsemani - em seu centro fica a Plaza de La Trindad, é bacana ir à noite e tem varias opções de restaurantes e bares descolados - aposte no Black Parrow e no Maria Bonita. Dança e música invadem as ruas do bairro no fim de semana e ele fica com um movimento bem popular, com predominância de locais e alguns estrangeiros.

Arquipélago do Rosário - as praias mais bonitas de Cartagena estão no Arquipélago do Rosário, é possível pegar um barco do centro até lá e fica a cerca de uma hora de viagem, varias agências no Centro histórico de Cartagena comercializam o passeio por um preço bem acessível. No total, o arquipélago é formado por 27 ilhas, sendo que a maioria são particulares - inclusive uma delas pertencia ao reconhecido narcotraficante Pablo Escobar. É aqui que ficam localizadas também a Ilha Grande e à Ilha Barú, ambas incríveis e estonteantes, inclusive a Playa Blanca.

Playa Blanca - em Playa Blanca você encontrará águas transparentes e areia branca, além de um mergulho delicioso, perfeito para se refrescar frente ao calor que faz em Cartagena. Para os entusiastas da aventura, aqui é possível fazer snorkel e outros passeios marítimos. A dica aqui para encontrar seu cantinho sem ser incomodado é andar até o trecho da praia com menos vendedores.

Café Juan Valdez - como o café colombiano é um dos melhores do mundo, vale a pena conhecer essa rede internacional colombiana de cafeterias que trazem propostas charmosas com uma vasta variedade de tipos da bebida.

Passeio de Chiva - transporte público pintado de forma peculiar, típico para turista, onde o pessoal vai bebendo e fazendo música enquanto circula pela cidade.

Vulcão de Lama Totumo - localizado no norte da Colômbia, no município de Santa Catalina, que fica a cerca de uma hora de carro de distância de Cartagena, o vulcão inativo é um destino turístico local graças ao banho de lama oferecido dentro dele, que dizem trazer um lodo com propriedades curativas naturais que tem mais de 50 minerais. O poço onde se toma o banho de lama dentro do vulcão tem mais de 2.000 metros de profundidade, mas não é possível alcançar o fundo devido a densidade do lodo, que faz o corpo humano boiar. É um passeio bem divertido e que ainda oferece uma boa limpeza de pele.

Museu Colombiano de Arte Moderna - vale mais pela arquitetura do prédio do que pela representatividade das obras, porém é possível encontrar alguns artistas impactantes.

Museu do Ouro - localizado dentro da cidade fortificada, o foco deste museu são relíquias pré-colombianas, com mais de 600 peças de ouro, prata e cerâmica.

Museu das Esmeraldas - também localizado dentro da cidade fortificada, traz a história da pedra preciosa na Colômbia, pois o país é um dos líderes mundiais em extração do mineral. O acervo do museu é bem curto, já a loja, bem extensa.

Museu do Cacau - para os entusiastas do chocolate, conhecer esse museu é imperdível, pois além de contar os passos para a produção do alimento, tem uma chocolateria dentro, uma loja com produtos deliciosos e um restaurante com drinques e pratos gastronômicos feitos com chocolate. Fica igualmente localizado no Centro histórico.

Avenida Marbella - é uma das principais avenidas da cidade, que liga o aeroporto e a cidade amuralhada, além de contornar parte da mesma, e por ficar à beira mar tem várias praiazinhas não muito movimentadas e bem relaxantes.

Café Del Mar - se você visita Cartagena, provavelmente vai passar por esse restaurante e bar. Não pelos drinques saborosos e pela gastronomia local, mas também por sua localização, que fica em cima da muralha, também envolto de canhões históricos. Aposte aqui em um pôr do sol inesquecível ou em uma noite badalada no melhor estilo lounge. Vale a pena chegar cedo, às 17h, ou fazer reserva, porque o estabelecimento fica cheio.

Café Havana - se você procura dançar salsa local, esse é o lugar. Apesar do gênero musical ter surgido em Cuba - por isso a capital cubana dá o nome a este estabelecimento - a salsa e a rumba são muito presentes na Colômbia. Nesse bar tem shows bem animados praticamente todas as noites, e vale a pena também chegar cedo, as 20h, ou fazer reserva.

Donde Fidel - também é um dos melhores lugares para se dançar música caribenha em Cartagena, com apresentações musicais diárias e um público que mistura locais e estrangeiros.

Alquímico - bar descolado com drinques saborosos e uma decoração bem peculiar feita toda com vasilhas de vidro.

Le Petit - localizado no centro fortificado, durante o dia esse restaurante oferece um cardápio bem completo com preços acessíveis, e a noite seu salão interno é aberto e transformado em uma balada LGBT friendly.

Phantom - é uma balada dentro de um barco, bem charmosa e frequentada. Começa um pouco mais tarde, por volta das 22h.

Fragma Club - balada localizada dentro da cidade murada que tem três pistas e diferentes ambientes.

Babar - também uma das melhores baladas da cidade com boas opções de drinques. Aposte para ir aqui aos fins de semana, principalmente aos sábados.

La Chevicheria - talvez um dos restaurantes mais conhecidos da cidade, é imperdível para apreciadores da gastronomia com base nos frutos do mar, e tem um cardápio com diferentes tipos de ceviches - foi aqui eu comi o ceviche mais saboroso da minha vida até então.

La Vitrola - restaurante de alta gastronomia com excelentes opções no menu, aposte aqui se você procura comer bem e não se incomoda em gastar um pouco mais. Apesar de que para os grandes apreciadores da boa gastronomia, não é nada difícil de encontrar bons restaurantes em Cartagena.

Patacón, Arepa e Arroz de coco - não deixe de provar também essas delícias típicas de Cartagena das Índias. Os patacones são bananas típicas da região, que são oferecidas fritas com diferentes molhos ou assadas como acompanhamento de outros pratos - até mesmo de hambúrgueres. Já a arepa colombiana é um prato de massa de pão feita com milho moído ou com farinha de milho pré-cozido, é bem popular e tradicional e pode vir com diferentes recheios, sendo oferecida em carrinhos de rua de comida e restaurantes. E por fim, não deixe de apreciar o igualmente saboroso arroz de coco, que vem sempre acompanhando os pratos de pescados locais típicos.

TEM ALGUMA DÚVIDA OU PROCURA ALGUMA DICA ESPECÍFICA? ENVIA UMA MENSAGEM ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS: