Tailândia: sobre prosperidade e a sabedoria oriental da Ásia em Bangkok

As vezes precisava ir até lugares que o lembrassem quem estava no controle da vida. Ou pelo menos, espaços que trouxessem tal sentimento de ilusão. Para chegar mais distante habitou-se a questionar do que tinha mais medo: morrer ou ser ordinário? Definitivamente preferia uma existência mais significativa e breve. Um vírus assolava o mundo com a promessa de ser uma nova pandemia apocalíptica enquanto ele atravessava dois oceanos tendo como seu destino o continente de origem da doença. Mais uma coincidência, mas como sabia que elas não existem e são conspirações do acaso e que o acaso se manifesta através da serendipidade, sabia que não estava lá gratuitamente.

Novamente cruzou meio planeta e cortou os cabelos, viu coisas que quebraram seus dogmas, observou movimentos que reafirmaram suas crenças, experimentou sabores inimagináveis até então e acabou adotando costumes que não pertenciam a sua cultura. Relembrou que nada se constrói só. A Ásia lhe apresentou um novo senso sensorial e social de comunidade incomum não presente nos continentes que conheceu anteriormente. Ainda que com a barreira da língua, a capital tailandesa lhe dava diariamente presentes em forma de ensinamentos sobre prosperidade e empatia. Empatia manifestada em sorrisos, pequenas gentilezas e atitudes de bondade quase acrônimas.

Não que não houvesse fome lá. Muito pelo contrário, havia fome de tudo. De comida e de sabedoria. A fome era tanta que aquele continente tornou-se pioneiro no conhecimento e manteve-se assim diante da contemporaneidade. Tecnológico, pirotécnico, escandaloso, barulhento, caótico em uma confusão contraditória fácil de se entender. Ele precisou conhecer Bangkok para lembrar que aquilo que afirmava aos amigos era verdade: o amor é a maior força do mundo. Era paradoxalmente pertinente pensar na relação entre fome e amor. Seria uma dicotomia de retroalimentação? Onde existe fome, falta amor.

O fato é que a Tailândia também o lembrou que era um verdadeiro viajante e tal qual conseguia aguentar qualquer coisa, até a morte, contando que o seu espírito estivesse livre. Contenção mecânica, coerção, vigilância, ignorância, inconsistência e disputa de poderes. A composição perigosa que assola todo sistema e que flerta constantemente com o colapso, como era com o seu, o enraivecia mas lhe incentivava na sua eterna luta de aprendizado e justiça. Em tempos difíceis é necessário lembrar que a luz só existe graças a obscuridade. E aquelas luzes da Ásia estavam lá para isso.

A política é guerra sem derramamento de sangue e a guerra é política com derramamento de sangue”.

Mao Tse-Tung

SABIA QUE? Tendo uma monarquia constitucional parlamentarista como forma de governo, a Tailândia foi fundada oficialmente apenas em 1932 e funcionava como um reinado independente antes da data. É um país que nunca foi colonizado e está em pleno processo de transformação Com uma área de mais de 500 mil km2 e sendo a vigésima nação mais populosa do mundo, a Tailândia é também reconhecida internacionalmente pela sua forte cultura oriental norteada pelo budismo, maior religião do país, além de ser o grande hub da Ásia e talvez por isso, é o país mais visitado do Sudeste Asiático, de acordo com a OMT (Organização Mundial de Turismo). O budismo é tão potente na Tailândia que tradicionalmente todo homem tailandês se torna monge durante um mês ao ano, raspa os cabelos e adota as cinco normas: não mentir, não trair, não roubar, não beber e não fazer o uso de violência. A moeda nacional é o baht e a língua oficial é o tailandês. Com diversos arrancha-céus e templos religiosos, a capital Bangkok representa bem a economia em ascensão e transformação do país e é também o principal centro financeiro, mercantil, cultural e histórico da nação. Outra curiosidade é que há mais de 37 mil templos budistas espalhados pela Tailândia e 90% dos tailandeses declaram tendo o budismo como religião.

VOCÊ PRECISA CONHECER:

Wat Phra Kaew, o Grande Palácio de Bangkok - é um complexo em que se concentra os principais templos da capital tailandesa, o templo budista mais sagrado da Tailândia, pois abriga o Buda de Esmeralda (Emerald Buddha), a estátua tida como protetora da sociedade tailandesa. Encontra-se no templo principal do complexo do Palácio Real e é proibido fotografar seu interior e a estátua. Reza a lenda que o Buda de Esmeralda foi feito na Índia ou Sri Lanka e segundo uma profecia, ele traria prosperidade a cada país é pessoa que o conhecesse. O Wat Phra Kaew é tão importante para a Tailândia que se encontra dentro dos limites do Grande Palácio de Bangkok, palácio no qual morou a família real e a nobreza tailandesa até 1925, e é o único templo budista tailandês em que monges não podem residir. Dentro do complexo há mais de 30 templos com decorações incríveis e estéticas impactantes pelo cuidado nos pequenos detalhes. Uma outra curiosidade sobre os templos na Tailândia é que habitualmente estátuas de serpentes ou de leões-dragão estão nas entradas dos templos para, simbolicamente, resguardar esses espaços sagrados.

Wat Pho - O Buda Reclinado dourado é a maior atração de Wat Pho, a estátua é gigantesca e possui um templo só para ela. Com 15 metros de altura e 46 metros de largura, o Buda reclinado é pintado de dourado, e ele se encontra numa posição pacífica simbólica ao chegar ao fim de sua missão na Terra. Além do templo do Buda Deitado, o espaço, que fica dentro de uma muralha, possui um templo onde são encontradas as 400 estátuas de Buda centenárias – o detalhe bacana aqui é que nenhum dessas estátuas tem feições iguais às outras, o que evidencia as diferenças humanas. Esse templo também foi a sede da primeira universidade da Tailândia, além de ser atualmente espaço de morada de alguns monges, é uma escola e alojamento de monges.

Wat Arun - construído no século 17 e conhecido como Templo do Amanhecer ou Templo da Alvorada, esse templo fica às margens do Rio Chao Paraya, que corta toda Bangkok. A arquitetura é impressionante em cor branca e verde e com um detalhamento incrível. Tem cerca de 85 metros de altura, em cada um dos cantos ergue-se um prang, um tipo de “altar capela”, de dimensão menor. O grande pagode, que é um tipo de construção de cultura oriental específica, é decorado por conchas e pedaços de porcelana que antes foi usada como lastro por navios que chegavam a Banguecoque vindos da China. A entrada frontal do templo tem um teto com um coruchéu ao centro, decorado com cerâmica e porcelana coloridas. Imperdível.

Rio Chao Paraya - o passeio de barco pelo principal rio da capital da Tailândia, que, inclusive, tem uma dimensão imensa, também é imperdível – várias empresas turísticas oferecem passeios de hora em hora, mas aposte no Chao Praya Express, que é o menos turístico e o mais barato, além de ser o mais utilizado como meio de transporte pelos locais. O passeio pelo Rio Chao Pharya proporciona vivência turística e cotidiana com o povo de Bangkok, e é uma das principais vias de transporte alternativo da cidade. Às margens do rio há diversas atrações, como templos, restaurantes e até casas noturnas.

Avenida Khao San - a via é uma parada obrigatória para os turistas, tem diversos restaurantes, lojas com artesanato e roupas locais, várias opções de comidas de rua e também casas noturnas. Aproveite para experimentar aqui, além do sorvete de coco e do Pad Thai (prato típico tailandês extremamente saboroso que pode ser encontrado em quase totalidade de restaurantes da capital), os famosos insetos, escorpiões, formigas e aranhas, que são vendidos em palitos ou com mistura de diferentes molhos. Historicamente, essas iguarias foram inseridas no cardápio tailandês por consequência da escassez de alimentos, e atualmente tornou-se mais um atrativo turístico ou adotado em pratos na alta gastronomia do país. Vale a pena experimentar, porque dificilmente encontrará esses sabores em outros países, inclusive nos asiáticos.

Damnoen Saduak - é o mercado flutuante mais famoso da cidade e uma atração única com canoas flutuando sobre o canal que comercializam diferentes pratos típicos da culinária asiática, especiarias, frutos e outros alimentos. Damnoen Saduak é um distrito que fica localizado no oeste da Tailândia, e por não ser exatamente na capital Bangkok, quem o visita deve se organizar anteriormente quanto ao meio de transporte para chegar até lá. Esse mercado flutuante é realizado todos os dias pela manhã até o meio-dia. Os mercados flutuantes são um símbolo cultural potente da Tailândia que resistem tradicionalmente até os dias atuais. Pessoalmente, preferi o mercado flutuante Tailing Chan, porque o achei menos turístico e onde é possível vivenciar com mais distinção as raízes do país. Como não funcionam exatamente diariamente, a maioria apenas durante as manhãs e parte deles somente aos fins de semana, fique atento a programação quando for visitar esses espaços.

Mahanakhon - é o maior prédio de Bangkok conhecido também como King Power MahaNakhon e fica no distrito executivo da capital. O arranha-céu tem salas comerciais e residências e é chamado popularmente de prédio pixel, por sua arquitetura arrojada e pioneira, com trechos em formato de cubo cortado destoante do alinhamento vertical, que foi inclusive copiado em outros lugares do mundo. É possível comprar uma visitação no térreo do prédio, passeio esse feito diariamente por centenas de turistas.

Museu do Sião - O Siam Museum, ou Museu do Sião (antigo nome dado à região que hoje forma o Reino da Tailândia), é um dos maiores museus do país e faz um panorama total da sociedade tailandesa, desde suas origens até os dias atuais, passando por questões culturais e até linguísticas. É bem interativo, sendo bom para crianças e adultos. Para quem curte história e não consegue ficar sem um bom museu, o Museu do Sião é obrigatório para entender a historia da Tailândia e de parte do Sudeste Asiático.

Chinatown - um bairro especial de Bangkok, bem central e também acessível pelo rio Chao, tem milhares de pequenas lojas com artigos de todo o gênero, além de uma feira de comidas de rua deliciosa que funciona as noites e templos chineses. Não é tão moderna como a China própria, mas definitivamente é possível vivências costumes chineses lá, como o trânsito caótico, letreiros iluminados de neon, e muito chinês falando alto. Prepare-se, divirta-se e delicie-se.

Khlong Toei - por favor não deixe de conhecer esse mercado de rua para experimentar o melhor da tradicional comida tailandesa. Com dezenas de barracas, o Khlong Toei fica na região central da capital e era considerado marginalizado até poucos anos atrás até cair no gosto popular dos locais e turistas. Aqui é possível encontrar as iguarias mais saborosos e os pratos tradicionais da raiz tailandesa. Aposte nesses pratos para garantia de ser feliz no paladar: noodles de arroz com acompanhamentos (carne de frango, de porco ou frutos do mar) na som tam, a salada de mamão, o satay, espetinho de porco com molho de amendoim, no Tom Yum Kunk, sopa de camarões picantes e leite de coco, Panaeng Muú ou Gaeng Kiew Wan, carne com curry vermelho e curry verde, Curry Massaman, o típico curry asiático, o arroz com manga, e por fim, não deixe de provar o mangostão (ou mangostin) fruta típica da Tailândia.

Chatuchak - um dos maiores mercados de rua de fim de semana do mundo fica em Bangkok. O Chatuchak Market é o maior mercado de rua da Tailândia e vende tudo o que você possa imaginar. Com 8 mil barracas, fica difícil escolher o que comprar, mas caso esteja procurando suvenires para levar para casa, esse talvez seja o melhor lugar. Só tente chegar cedo para não encarar a multidão que chega perto da hora do almoço no local. O mercado abre às 9h e funciona até às 18h.

Phuket - uma das ilhas mais badaladas e paradisíacas da Tailândia fica a poucas horas de distância da capital, é também a maior ilha do país e recebe aproximadamente 3 milhões de visitantes por ano. Possui até voos diretos saindo da Europa, Oriente Médio e outros destinos na Ásia, sem ter que passar pela agitada capital. Destino paradisíaco com águas calmas e cristalinas, Phuket também oferece ondas - um diferencial que atrai cada vez mais turistas, seja para aproveitar os campeonatos de surf, hotéis de luxo a preços acessíveis, ou simplesmente os passeios para as ilhas mais famosas da Tailândia, como Phi Phi e Maya Bay - aposte nessas se você procura por festas, agitação e diversão com turistas vindos de diferentes regiões do mundo.

TEM ALGUMA DÚVIDA OU PROCURA ALGUMA DICA ESPECÍFICA? ENVIA UMA MENSAGEM ATRAVÉS DAS REDES SOCIAIS.

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS:

@2020 - MARCIANO 12024 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS